Agora, o clima esquenta entre Rena Calheiros e ministro do STF, “ele não manda no Brasil”


Liminar que afastou Renan Calheiros será mantida, diz Ministro do STF Marco Aurélio Mello.

Autor da liminar que afastou Renan Calheiros da Presidência do Senado, o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello acredita que a medida será mantida com uma votação “acachapante” no plenário do STF. “ele não manda no Brasil”  complementou.

Em entrevista à Bandnews FM, o magistrado avaliou que tomou uma decisão “em sintonia” com as manifestações que pediram o “Fora Renan” e garantiu que ela será apreciada amanhã pelos colegas.

Marcos Aurélio Mello fez o prognóstico com base no afastamento pelo STF do então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), e na ação que impede réus na linha de sucessão da Presidência da República, que tem 6 votos a favor, mas foi paralisado pelo ministro Dias Toffoli.

“Considerando o precedente do caso Eduardo Cunha e os seis votos já proferidos (na ação da Rede), imagino que teremos uma maioria acachapante referendando a liminar”, afirmou.

O ministro do STF também comentou a proximidade entre a decisão e os protestos de domingo: “Uma agradável sintonia. É muito bom quando nós decidimos em harmonia com os anseios populares”.

Marcos Aurélio Mello ainda rechaçou a afirmação do Senado de que o afastamento de Renan agrava a crise política e coloca em risco a PEC dos Teto de Gastos, com votação em 2º turno prevista para a semana que vem.

“Não coloca em risco (a PEC). Uma coisa não tem relação com a outra. A PEC será apreciada pelos 81 senadores. Não seria ele na Presidência ou fora dela que levaria a aprovação automática da PEC. (…) A liminar não ocasionou ou provocou uma crise. Ela só veio agora porque tornou-se réu o Renan quando recebemos a denúncia, por 8 votos a 3. O fato novo foi que me levou a atuar”, explicou

Por: Agencia de Noticia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

log in

reset password

Back to
log in